Política aberta

 

Diante da mudança da política mundial, os dois começaram a se preparar política e psicologicamente para o retorno às grandes cidades. Seu Doca e Lilia (Euler e Isaura) trocaram a vida clandestina pela vida legal e o trabalho subterrâneo pela política aberta. Voltariam a ser Euler e Isaura.

A ditadura militar não foi derrubada no início dos anos 80, mas metamorfoseada para uma falsa e limitada “democracia”. Na época, o povo exigia a anistia ampla, geral e irrestrita, constituinte livre e soberana e eleições diretas. Em vez de anistia ampla, geral e irrestrita, veio a impunidade para os traidores da pátria. Em vez de eleições diretas, eleições indiretas. Mesmo Tancredo Neves, eleito indiretamente, morreu de doença suspeita antes de tomar posse, assumindo o vice-presidente José Sarney, velho serviçal da ditadura militar. Isaura, Euler denunciavam a difícil situação.

Em 1979, o casal foi anistiado e se mudou da Mata Amazônica para São Paulo. Em 1980, Euler Ivo foi enviado para Goiás, sua terra natal, para reconstruir o Partido Comunista do Brasil, que havia sido destroçado durante o regime militar pela forte repressão contra a guerrilha do Araguaia e os democratas em geral.

Isaura trabalhou como enfermeira na Santa Casa de Campinas. Grávida de Maíra e com Tatiana Lemos ainda pequena, liderou um movimento por melhores salários, junto aos funcionários do hospital. Foi demitida e ainda recebeu o apelido de “Lula do Hospital”. Naquela época, o metalúrgico Lula era a grande referência da luta sindical brasileira.

Cantora Maíra: segunda filha do casal Euler-Isaura

Em 1980, nasceu a segunda filha do casal, Maíra, que se tornaria mais tarde uma cantora de sucesso nacional. Isaura e Euler estabeleceram contatos com as lideranças mais conscientes e determinadas do movimento popular urbano, o que possibilitou a criação de uma força núcleo dirigente determinada. Apesar de Goiás ter sido berço da UDR e vítima da feroz repressão à guerrilha do Araguaia, o Estado foi um dos lugares onde o partido cresceu mais rápido.

Isaura e Euler passaram a ser respeitados, mas ainda discriminados. Em 10 anos, já eram mais de 13 mil filiados, com hegemonia no movimento estudantil, sindical rural e parte do urbano, e cadeiras na Câmara Federal, estadual e municipal. Já nos anos 90, Euler se desfiliou do PC do B por ter sido atacado por antigos companheiros.

No ano de 1981, Isaura e Euler criaram em Goiânia o Movimento contra a Carestia. Depois, conclamaram o povo a lutar pela melhoria do transporte coletivo da capital. Também ajudaram a construção de partidos de esquerda e diversas outras organizações populares de resistência à ditadura. Isaura fez parte da comissão que organizou o 1º Congresso das Classes Trabalhadoras.

Já em 1982, Euler foi eleito vereador de Goiânia. Sua posse ficou marcada quando retirou o quadro do ditador presidente, General Figueiredo, da parede da Prefeitura de Goiânia. Seu mandato se tornou um instrumento de luta dos moradores de bairros da periferia por benefícios.

Isaura e Euler em reunião com famílias do MLCP no CEPAL

Isaura Lemos, como dirigente partidária, era uma incansável lutadora pela redemocratização e reorganização das entidades populares e sindicais. Foi ativa militante da causa feminina. Ajudou na fundação do Centro Popular da Mulher, entidade dedicada às mulheres da periferia. Sempre apoiou o Centro de Valorização da Mulher (Cevam). Por mais de 10 anos, Isaura se dedicou à formação dos novos militantes e elaborou artigos sobre as questões socialistas. Em 1985 e anos subseqüentes, Isaura e Euler participaram ativamente da luta política, que abria o caminho da democracia no Brasil.

Procurar
Visite também
ÁLBUM COMPLETO >>Últimas Fotos
© 2015 Isaura Lemos - PCdoB. Todos os direitos reservados.